Coordenador do curso de nutrição da UVA e alunos falam sobre carreira, alimentação e coronavírus

Na última terça-feira, 31, foi comemorado o Dia Nacional da Saúde e Nutrição. A data sempre relembra a importância da alimentação saudável para o organismo, principalmente em tempos de coronavírus. Com a chegada do COVID-19 no Brasil, surgiram inúmeras fake news nas redes sociais com receitas caseiras que curam a doença.  O coordenador do curso de Nutrição da Universidade Veiga de Almeida, professor Carlos Eduardo Neves, afirma que “não tem nutriente milagroso para curar o coronavírus”. 

A prevenção vem do fortalecimento do sistema imunológico. “Se a pessoa se alimenta corretamente, estará com boa imunidade independente do tipo de infecção que ela tenha”, ressalta. Alimentos ricos em vitaminas e minerais, como a carne vermelha, rica em zinco, verduras e nozes, ricas em magnésio, manga e cenoura, que têm vitamina A e a famosa laranja, entre outras frutas cítricas ricas em vitamina C. É importante, porém, que se tenha cuidado com os excessos no tempo ocioso. “Existe a possibilidade de você não se exercitar e gastar pouca energia, então você precisa manter a alimentação balanceada e limitar as quantidades”, adverte Carlos Eduardo. 

O futuro nutricionista João Victor Azevedo (24) está no sétimo período e afirma que escolheu essa profissão porque sempre gostou da área de saúde e de estudar a composição dos alimentos, e como isso implicava na vida das pessoas. “Sempre tive uma alimentação balanceada, e com exercícios físicos você pode ter uma vida saudável”. Hoje ele é apaixonado pelo o que estuda e espera que boas oportunidades de emprego apareçam em breve. 

A caloura Anna Carolyna Barros (19) também sempre gostou da área de saúde. Já cursou enfermagem, mas a escolha veio pela ampla área que a profissão de nutricionista oferece. O momento atual foi complicado para começar o curso, já que todas as aulas passaram para o ambiente virtual, mas ela está conseguindo lidar com os desafios. “Pra calouro tudo é novo e é bem difícil pra quem escolhe aula presencial ter que se adaptar com EAD, mas os professores são bem atenciosos e estão ajudando bastante. É um sacrifício pra não perdermos o semestre”. Anna espera alcançar seus objetivos e se tornar uma boa profissional, para ajudar o próximo com seu trabalho.

Por Luiza Almeida, 6º período

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: