X Jornada Acadêmica de Fonoaudiologia inspira futuros profissionais na UVA Tijuca

Se a criança demora a dizer as primeiras palavras, fala pouco ou troca as letras, os pais, preocupados, vão “correndo” ao fonoaudiólogo. Embora a maioria das pessoas lembra-se do profissional apenas nesta hora, seu papel vai muito além. Tudo isso foi falado e explicado na X Jornada Acadêmica de Fonoaudiologia, realizada no dia 28 de setembro, na Universidade Veiga de Almeida.

O início do evento foi marcado pela emocionante apresentação do grupo The Parkinsons, pacientes do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle, acometidos pela doença de Parkinson, que fazem do canto uma estratégia terapêutica.

A primeira palestra teve como tema “fonoaudiologia educacional nos diferentes tipos de ensino” e foi ministrada por Melissa França, Gestora do Programa de Saúde na Escola, e Taís Braga, Fonoaudióloga Clínica e Educacionas. As profissionais mostraram a importância da fonoaudiologia em diferentes tipos de ensino, público e privado.

“Antigamente, existia a cultura que o Fonoaudiólogo dentro das escolas servia apenas para realizar o encaminhamento de crianças com necessidade, mas vai além disso. Trabalhamos nos projetos de alfabetização e escrita, orientamos os professores e enviamos aos pais cartilhas do que é esperado do desenvolvimento da criança conforme a idade. Além de sempre acompanharmos a evolução do aluno”, disse Taís.

A palestra seguinte foi sobre a recusa e seletividade alimentar infantil, e foi destacado o fato de que a recusa de alimento pode ser uma forma de comunicação da criança. “Precisamos orientar aos pais que esse comportamento é a maneira que a criança tem de mostrar algo”, disse Ana Paula Nascimento, Fonoaudióloga.

A família tem um papel fundamental no desenvolvimento da criança e para Clarisse Ferreira, estudante do 5º período do curso de Fonoaudiologia da UVA, é de suma importância a participação. “Não adianta levar à fonoaudióloga, à nutricionista se não houver a interação familiar. Nossa área transmite o saber, mas cabe à família a prática diária do que foi ensinado”.

Além das palestras, houve a realização de mini-cursos de pré-moldagem de ASSI e de oratória aos alunos da UVA.

Laboratório de Comunicação Interna, Jonathan Assumpção, 7º período do curso de Jornalismo, Universidade Veiga de Almeida, campus Tijuca.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    %d blogueiros gostam disto: