EVENTO

Trabalho sobre os diferenciais

 

Empregadores têm cada vez mais exigências na hora de contratar novos funcionários. Confira as dicas para quem ainda está na graduação

Com o mercado de trabalho cada vez mais dinâmico e concorrido, a exigência por diferenciais é constante. Entretanto, para quem ainda está na graduação, um grande desafio é saber como construir um currículo que se destaque nos processos seletivos. Nesta matéria, ouvimos especialistas para trazer a visão do mercado sobre o que priorizar ao longo da graduação e alunos, que dividem suas experiências.

Além de trabalhos anteriores e da formação acadêmica, os recrutadores têm levado em conta cursos de idiomas, informática, projetos de iniciação científica e até mesmo a participação em empresas júnior e trabalho voluntário. Para Priscila Viana, analista de Recursos Humanos da UVA, é essencial deixar o currículo claro de acordo com a área de atuação. “Em vagas mais técnicas, como da área de Tecnologia da Informação, é importante colocar quais cursos já fez e quais programas domina”, diz.

Apesar do idioma oficial do Brasil ser o português, saber falar outras línguas é fundamental em muitas carreiras. O inglês, que antes era visto como um diferencial, hoje já é considerado uma necessidade, o que torna o domínio do espanhol e do francês mais valorizado. Cursos de análise de dados, programas de edição de imagens e vídeos também são importantes, especialmente na área de comunicação.

“Vale também ir em busca de palestras e seminários, muitas vezes gratuitos, não só para absorver conhecimento, mas também para trocar informações, fazer networking e mostrar aos recrutadores o quanto você é interessado na sua futura profissão”, ressalta Clara Nunes, publicitária, que há oito anos presta consultoria sobre carreiras.

Outro fator importante são os cursos de extensão e especialização, que variam de acordo com as profissões. Um dos mais requisitados atualmente são os de informática, pois muitas vagas exigem domínio de programas específicos e utilizam o computador como ferramenta de trabalho.

Atualmente à procura de um estágio, a estudante do 5° período de Jornalismo Fabyane Melo conta que ainda não fez cursos, mas que pretende enriquecer o currículo. “Quero começar alguns gratuitos nas férias”, diz. “Comecei a procurar emprego esse ano, mas parece que já faz muito tempo, pois é muito desgastante”, completa.

Além dos cursos, projetos de iniciação científica têm sido cada vez mais procurados por estudantes, por se tratarem de uma experiência acadêmica, além de envolverem um grande trabalho de pesquisa e escrita. “Atualmente, estou matriculado em um curso de especialização em jornalismo esportivo, além do PIC UVA (Projeto de Iniciação científica da UVA), que eu faço para agregar ao currículo e ter experiência de mercado e pesquisa quando eu me formar”, diz o aluno Ivaldo Lobato, do 5° período de Jornalismo, estagiário do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ).

Os casos de Fabyane e Ivaldo mostram que a busca por experiências ainda na graduação têm crescido cada vez mais entre os estudantes, que se especializam para que consigam oportunidades melhores de estágio e emprego no futuro. Pensando nisso, nós, alunos em prática profissional na Agência de Comunicação Institucional (AGECOM), promoveremos um workshop de formação complementar sobre carreira e como o LinkedIn pode auxiliar a partir da graduação. Convidamos a publicitária Clara Nunes, que atua como consultora de carreiras, para ser a facilitadora. O evento acontecerá na quinta-feira, 9 de maio, no auditório do Campus Tijuca, das 13h às 15h, e valerá 4 horas de atividade complementar. Para participar é necessário se inscrever.

 

João Henrique de Oliveira, 5° período

 

Foco na diversidade

III Semana de Biologia trará programação interdisciplinar para o campus Tijuca

Entre os dias 25 e 29 de março, os alunos do curso de Ciências Biológicas da Universidade Veiga de Almeida – UVA promoverão diversas atividades com temas da área científica complementares aos abordados em sala de aula. O evento é aberto à participação de alunos, professores e visitantes da UVA e de outras instituições, que poderão não só interagir, mas também participar da programação de palestras e minicursos.

Faltando pouco para o início das exposições, a veterana Thaísa Rodrigues, do 7º período, que participa pela segunda vez da organização, revela os pontos de superação do projeto. “Nós voltamos com tudo, aprendemos com os erros e com isso crescemos muito! Melhoramos para atender o público do evento”. As melhorias e novidades para recepção dos visitantes na terceira edição aumentam as expectativas da comissão organizadora. Para estudante Larissa Pitombeira, também do 7º período, a mudança no preparo é um ponto fundamental. “A evolução do evento é evidente e os temas, fantásticos”, declara empolgada com a programação.

Os conteúdos ministrados estão relacionados com o cenário global e ao mundo da ciência, eixo que enriquece o currículo, especialmente se os alunos apresentarem trabalhos e interagirem nas dinâmicas com práticas sustentáveis. “Vamos incentivar a sustentabilidade para rotina de cada participante”, menciona a organizadora Ana Carolina, para explicar o não uso de materiais plásticos, os crachás de papel e o estímulo à reciclagem.

Para Cristiane Fiori, coordenadora do curso de Ciências Biológicas, a semana tem ligação com as outras graduações. “A intenção é trazer para discussão assuntos sobre inovação, mudanças climáticas, saúde, entre outros”. A professora ressalta que o evento não está voltado  apenas para os alunos da Biologia. “Esse evento apresentará pontos de interdisciplinaridades e multidisciplinaridade de várias áreas do conhecimento”. Para saber mais sobre a programação, acesse: https://www.uva.br/content/iii-semana-de-biologia

 

 

Karina Figueiredo, 6º período

Vênus em UVA discute temas astrológicos e faz sucesso com público universitário

Cheio de energias boas, conversas místicas e empolgantes, produtos exclusivos à venda e até tatuadores convidados, o Vênus em UVA trouxe, na quinta-feira (01), um universo único para o campus Tijuca. Alunos da disciplina Prática de Eventos 2018.2 se organizaram e fizeram a viagem astrológica acontecer. O processo contou com a supervisão da professora Cristiane Rocha, que orientou estudantes dos cursos de Turismo, Psicologia e Comunicação Social do início do semestre até o dia do evento.

Tudo começou com um bate papo da professora com a turma, sobre o que iriam preparar como trabalho final da disciplina. Gabriel Mesquita, de 23 anos, compartilhou que a ideia do tema partiu do próprio. “Tiveram várias sugestões, muitas coisas. Eu pensei em algo leve, que eu pessoalmente gosto. Lembrei da minha mãe e prima, que gostam muito do assunto”, dividiu o estudante de turismo. Ele ainda comentou sobre o preconceito que existe no meio, quando se trata de homens com interesse na área. “Arrastamos meu pai para ele ver que não é coisa de outro universo”, e assim se iniciou o projeto.

Durante as quatro horas de viagem astrológica, as palestras vieram com tudo e abordaram temas como Numerologia, Reiki e Astrologia. Assunto de grande interesse de alunos, a regressão a vidas passadas foi apresentada pela Psicanalista Denise de Santi, que dividiu detalhes do processo com o qual trabalha. “São duas técnicas de terapia breve. A terapia de regressão busca algo que aconteceu no passado, um trauma. Já na constelação, buscamos a origem da questão no sistema familiar da pessoa”, contou Denise.

A palestrante destacou a importância de falar para o público universitário sobre seu trabalho, reforçou que ainda há muito tabu na área em que atua e também convidou os alunos a adquirirem tal experiência. Em seguida, conversas sobre outros tópicos importantes do universo astrológico tomaram conta do mini auditório da universidade, enquanto em uma sala do primeiro andar, artistas tatuavam seus desenhos voltados para o tema em diversos estudantes. Também no bosque da UVA, ficaram as vendas de produtos variados como mandalas, bijuterias, orgonite, e óleos essenciais.

Opção não faltou, e quem parou para ver, pôde levar um pedacinho do evento cheio de energia consigo. Nem a prática de tarot ficou de fora! Alunos sentaram e ouviram atentamente o que havia de ser dito. Diante de tatuagens, objetos simbólicos, conversas energizantes e um mundo a ser descoberto, o sucesso do Vênus em UVA iluminou a tudo e a todos. Um evento acadêmico que fez a diferença e trouxe momentos brilhantes para o cotidiano dos universitários. Que os próximos sejam tão prósperos quanto.

Laboratório de Comunicação Interna, Nathália Martiins, 8º período de Jornalismo, Universidade Veiga de Almeida, campus Tijuca