PROJETOS

Reunião marca o início dos preparativos para a Feira de Práticas Sustentáveis de 2019

Lurdes Domingos, Cássia de Carvalho , Izabelle da Silva, Andrea Cruz, Luis Antunes, Charles Anderson, Márcio Grillo, Alessandro Mendes

Na última sexta (12), aconteceu na Associação de Moradores de Tubiacanga (AMAT), bairro da Ilha do Governador, a primeira reunião para a Feira de Práticas Sustentáveis da UVA, que está prevista para outubro deste ano. Estiveram presentes líderes da comunidade (diretores da AMAT), alunos e professores, que foram apresentados aos moradores para, juntos, definirem as ações que serão executadas no bairro, nos moldes das 17 metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

A Feira de Práticas Sustentáveis da UVA é um evento anual que envolve a comunidade acadêmica, ONGs, setores da indústria e público em geral. Conta com atividades, exposições, oficinas, rodas de conversa sobre desenvolvimento sustentável e caminhos para minimizar impactos ambientais e sociais.

João Henrique Oliveira, 5º período

Fotografia em ação

NFOTO recebe novos alunos de Jornalismo e Publicidade para monitoria e prática profissional

O NFOTO – Núcleo de Fotografia da UVA está com nova turma de prática, desenvolvendo projetos para cursos e áreas da instituição. O projeto é coordenado pelo professor Altayr Derossi e tanto os alunos de Jornalismo quanto os de Publicidade podem participar. Para fazer parte, não é necessário ser fotógrafo, basta gostar de fotografar. “O Núcleo é o local para estudar, desenvolver a fotografia e melhorar o olhar fotográfico”, comenta o professor.

Nesse semestre, são 15 alunos, dentre monitores e alunos em prática, como é o caso de Beatriz Pereira, do 6º período de Publicidade. Ela escolheu o projeto pois sempre gostou de fotografar. “Espero realmente aprimorar o que eu sei porque pretendo trabalhar com isso”.  E o principal objetivo é esse: integrar os alunos que gostam de fotografia em uma atividade extraclasse que desenvolverá a técnica.

Para o estudante Matheus Santos, do 5º período de Publicidade e há um ano e meio no Núcleo, participar é ganhar prática em fotografar. “Produzir uma exposição, cobrir eventos e ter contato com profissionais da área, é uma prática a mais que você ganha”. Para aprimorar os conhecimentos dos alunos, o professor Altayr ministra oficinas internas.

O NFOTO atende a pedidos de cobertura institucionais e de todos os cursos. Também é responsável pelo Encontro de Fotografia, evento que reúne nomes importantes da área, oferece palestras e oficinas para todos os alunos da faculdade. O Encontro deste ano acontecerá no segundo semestre. Para ficar por dentro das novidades do NFOTO e da agenda de eventos e oficinas, basta curtir os perfis no Facebook e o Instagram.

Carolina Gabri, 7º período.

Alunos de Publicidade realizam projeto para ajudar ONGs

Os alunos da disciplina Agência Experimental do curso de Publicidade receberam na terça-feira (19) representantes de sete ONGs que participarão do projeto final da matéria. O encontro teve como objetivo levantar informações sobre as organizações, ajudando, assim, na criação do plano de comunicação. As ONGs participantes desse ano são: Busina Social, Abrigo João Rosa, Reame, CADI, CAARP, SOZED e a Casa Jovem Júnior.

O projeto começou em 2009, coordenado pelo professor Oswaldo Senna, e desde então o resultado final tem sido bom para todos os envolvidos. “Procuro ONGs que necessitam de apoio na sua comunicação. São organizações pequenas que passam por vários tipos de necessidades e, na comunicação, nós podemos ajudar”, comentou o professor. Para Oswaldo, é um trabalho gratificante, pois ajuda as ONGs e elas ficam satisfeitas com o resultado e os alunos mostram a que vieram.

A aluna Juliana Cardoso, do 7º período, está com uma expectativa muito boa para o resultado final deste projeto. “Por se tratar de ONGs, a maioria tem uma deficiência em administração e comunicação, então iremos tentar mudar um pouco isso. Pretendemos conseguir mais voluntários, professores e psicólogos”. O grupo de Juliana ficou com a ONG Casa Jovem Júnior e, para a realização do trabalho, eles puderam conheceram um pouco mais da história da organização, os desejos da Casa Jovem e as pretensões futuras.

São 11 grupos criando, até Junho, um plano de comunicação para as ONGs. Algumas são atendidas por dois grupos – cada uma apresenta sua campanha e trabalha separadamente em torno do mesmo cliente, e outras são atendidas apenas por um grupo. Os alunos contam com o suporte do professor durante todo o projeto. “Tenho que verificar tudo, resolver conflitos quando surgem e orientar a gestão interna deles, comportamento, atitudes, comprometimento etc”.

O projeto ajuda tanto as ONGs como os alunos, proporcionando a aplicação dos conhecimentos adquiridos em sala de aula em um cliente real e ampliando a visão dos alunos em relação a diversos problemas sociais que tentam ser minimizados pelos trabalhos desenvolvidos por estas organizações.

 

   

 

Carolina Gabri, 7º período

Abertas as inscrições para os projetos de Jornalismo

Estão abertas as inscrições para prática nos projetos de Jornalismo em 2019.1. O formulário está na página do JOTA UVA no Facebook ou neste link e deve ser preenchido em duas vias e entregue uma na Casa da Comunicação (Casa 10, na Vila), outro para o professor responsável pelo projeto. Dentre eles, há vagas para o UVA em Foco e JOTA UVA, veículos da Agência de Comunicação Institucional (então Laboratório de Comunicação Interna), Rádio UVA, TV UVA, Agência UVA e NFoto.

Oficina de Reciclagem busca dar vida nova a brinquedos doados e fazer a alegria de centenas de crianças

No começo de outubro, a “Oficina de Reciclagem de Brinquedos: os ajudantes de Papai Noel” começou a receber brinquedos para doar no natal. Os brinquedos podem ser doados em qualquer estado de conservação, não importa se estão novos, quebrados, sujos ou faltando peças. Também são aceitos livros, gibis e revistas de atividades para crianças e adolescentes, novos ou em bom estado. As doações podem ser feitas no Laboratório de Enfermagem do campus Cabo Frio. O projeto foi criado por Claudia Oliveira, 45 anos, bióloga e professora da UVA. Claudia começou a Oficina há 28 anos, com três kits de brinquedo, as primeiras doações foram feitas em hospitais. Este ano, a meta do projeto é doar 1.100 kits para crianças de comunidades carentes.

Claudia contou que a inspiração para criar o projeto surgiu no primeiro ano da faculdade, no qual ela fez uma disciplina que falava sobre o tempo de degradação de materiais no meio ambiente, e também de um especial que assistiu na TV, que falava sobre um hospital de brinquedos em Araxá, Minas Gerais. “Me chamou atenção o tempo que esse tipo de material demora para de decompor na natureza”, disse. Assim Claudia entrou em contato com o hospital de brinquedos para pegar algumas dicas e começou a fazer os kits para doar. Em 2006 o projeto recebeu apoio da UVA e virou um projeto de extensão do curso de enfermagem, depois disso se tornou um projeto de extensão universitária e continuou a crescer.

Alunos de todos os cursos participam e alguns pegam brinquedos para lavar em casa. Há pessoas que doam, pessoas que ajudam na divulgação, além daqueles que colaboram com o material de limpeza e com material para embalar os kits. Na equipe de entrega são vinte pessoas e a Oficina montada no Laboratório da universidade têm cinco ajudantes, mas no total o projeto conta com mais de cem voluntários. Segundo a criadora do projeto com essa ajuda o trabalho não fica pesado.

Esse ano a oficina de reciclagem conseguiu montar até o momento  45 kits, mas ainda têm brinquedos sendo lavados e doações que estão para chegar. Claudia acredita que a oficina consegue bater a meta de novo esse ano, se as pessoas participarem e doarem. Ela explicou que tem kit que vai com mais de 30 peças. Ano passado foram reciclados aproximadamente 14.500 brinquedos e com essas peças foram montados 1.197 kits.

“Quando o brinquedo chega novo a gente passa só um produto para tirar a poeira, na maioria das vezes passa só um álcool, e às vezes precisa de um degermante, então ele é embalado. Quando chega sujo ele precisa ser lavado, mas tem que ser bem enxaguado, para não deixar resíduo no plástico, no tecido ou na pelúcia”, conta Claudia. Se o brinquedo vier precisando de conserto, se procura fazer uma reposição de peças, se for de tecido, ele é costurado, tudo depende do estado do brinquedo, sempre com uma técnica para fazer a limpeza e a higienização.

Todos os anos o projeto leva o Papai Noel da UVA em uma cidade ou comunidade diferente da Região do Lagos. “A entrega é uma felicidade muito grande, sensação de dever cumprido, de estar fazendo a nossa parte. Não só pelo meio ambiente, porque a maioria dos brinquedos iria para o lixo, mas por poder se sentir útil ao próximo. O projeto tem uma pegada social, de inclusão”, disse Claudia. Ela também acha que a entrega dos brinquedos é uma oportunidade para as crianças brincarem e saírem da rotina.

A doação esse ano vai ser feita em Arraial do Cabo, no Posto de Saúde do Morro da Boa Vista, atendendo as comunidades da Boa Vista, Monte Alto, Fiqueira e Sabiá. O evento vai acontecer dia treze de dezembro. Já os brinquedos para doação vão ser recebidos até o dia oito de dezembro. Se você gostou da iniciativa e quer saber mais visite a página “Oficina de Reciclagem de Brinquedos Os Ajudantes de Papai Noel” no facebook. Participe e doe aquele brinquedo que está sobrando na sua casa para fazer o Natal de outras crianças mais feliz.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Laboratório de Comunicação Interna, Pamela Gonzalez, 7° período de jornalismo, Universidade Veiga de Almeida, campus Cabo Frio